Críticas publicadas:

02/05/2007 - Aplauso Brasil (por Oscar Bessi Filho)
O Banquete literário de Cíntia Moscovich

Oscar Bessi Filho*, especial para o Aplauso Brasil aplausobrasil@aplausobrasil.com

MONTENEGRO - Quem não sofre em frente ao espelho ao se questionar sobre o próprio peso? Quem não recorre ao comer como válvula de escape contra o estresse ou a tristeza? A escritora gaúcha Cíntia Moscovich, autora de "O reino das cebolas"; "Duas iguais"; Anotações durante o incêndio" e "Arquitetura do arco-íris", apresenta aos leitores mais um livro soberbo, “Por que sou gorda, mamãe?”.

Uma escritora revira o passado de sua família, onde buscar compreender os motivos de sua obesidade e os conflitos com a mãe. Tintas novas às reflexões de Kafka, em "Carta ao Pai", tema mais que válido num presente de questionamentos tão presentes em relação à família moderna, suas relações e estruturas. Porém, sob as linhas e entrelinhas de Cíntia, surgindo de forma divertida e palpável ao cotidiano, onde a identificação com a personagem é o grande atrativo aos fãs da autora.

Tratado de forma bem-humorada, “Por que sou gorda, mamãe?”, na casa das personagens relembradas pela narradora, transforma o ato de comer quase que numa religião. Conforto, em que, as lembranças gastronômicas da personagem, remetem a uma infância sem preocupações com o peso, e o ato de comer passa a ser encarado como um bem subjetivo, um valor de família, um ritual de aproximação e felicidade. Na adolescência, onde a mulher quer sentir-se mais bonita, surge o conflito de valores e estereótipos, conflitos esses que são abordados de forma criativa e engraçada em “Por que sou gorda, mamãe?”.

São as cadeiras do cinema que estão ficando menores a cada filme, a constatação de que as lojas "normais" não têm mais roupas de seu tamanho, as academias de ginástica que não têm gordos matriculados. Há quem ouse dizer que a autora está ingressando no mundo da auto-ajuda, permeada de filosofia popular, quando insere o livre-arbítrio numa relação tencionada com o próprio destino. Na verdade Cíntia traz um elenco de histórias muito bem contadas. Um verdadeiro banquete literário.

* Oscar Bessi Filho é escritor




<<voltar