Críticas publicadas:

24/07/2013 - Zero Hora, página 2, interinidade Martha Medeiros
Os butiás e a moral

24 de julho de 2013 | N° 17501 CÍNTIA MOSCOVICH - INTERINA
Os butiás e a moral
Na coluna da Claudia Tajes no Donna de domingo passado, ela comenta que lhe caíram os butiás do bolso ao saber que, numa das últimas manifestações, um grupo que se dizia contrário à atuação dos veículos do grupo RBS espalhou esterco em frente à sede da empresa – grupo que deve ser do mesmo time que ocupou a Câmara e que expulsou jornalistas no grito.

Eu sei que tem gente que não lê a Zero Hora, que não sintoniza emissora da RBS e que faz até campanha contra. Sei também, bem sabido, que é moda fazer linchamento moral de pessoas e instituições com as quais não se simpatize ou não se compreenda (que é o mais comum). Até aí tudo bem, cada um vive como pode, o direito ao gosto e ao desgosto é uma das prerrogativas do Estado republicano. O que não se pode nunca achar justo é que um bando de jovens, movidos por uma ideologia de ódio, emporcalhe o prédio de uma empresa de comunicação – ou qualquer outro prédio.

Penso que essa rapaziada, que se deu ao trabalho de carregar pela Avenida Ipiranga tonéis de esterco e galões de um líquido identificado como cocô de porco, além de ter um senso de humor comparável aos excrementos que trazia, não tinha noção de quem estava envolvendo na imundícia. Não pensou que quem ia limpar a porcaria não ia ser algum executivo, jornalista ou editor, muito menos qualquer membro da família que é dona da empresa que eles tanto execram; quem teve que dar cabo de toda a cocozada e aguentar a fedentina foi mesmo o pessoal da limpeza, trabalhadores humildes que merecem o respeito e a consideração que lhes foram subtraídos pela corja.

Agora: na tentativa de escracho, quem saiu mal foram mesmo esses meninos, que acabaram respingados até a alma da mesma sujeira que jogaram na frente do prédio.

Os butiás do bolso da Claudia Tajes a gente pode até resgatar. Quero ver é limpar essa moral de merda em que a gente literalmente atolou.


<<voltar